Governo pretende equilibrar contas com aumento de impostos

Posted by ORN on March 20, 2017 in Posts | Short Link

O governo trabalha para fechar uma conta que ele ainda não sabe ao certo que tamanho tem, o que se sabe é que a meta do deficit primário de 2017, que é de R$ 139 bilhões, não vai ser alcançada sem corte de gastos e talvez aumento de impostos.

Os técnicos do Tesouro estão trabalhando para tentar definir o tamanho do buraco. Um dos maiores problemas é o PIB, que não vai crescer como o governo esperava. A Fazenda trabalha com uma previsão de crescimento de 1%, mas o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, já disse que esta previsão será revisada pra baixo.

O mercado financeiro já vem trabalhando com uma previsão que é a metade disso, 0,40% de crescimento do mercado. Sem o crescimento esperado do PIB, Meirelles disse que tem até o dia 22 de março, quando termina o trabalho dos técnicos do Tesouro para poder definir se o corte de gasto será suficiente ou se vai ser necessário o aumento de impostos.

Levando em conta não só o crescimento econômico, levando em conta as receitas do programa de regularização tributária, as receitas de concessões, de outorga, privatização… Já com dados um pouco mais concreto, tudo isso nós vamos avaliar, como é que será a programação orçamentária e ai o que precisará ser feito. Se for necessário em algum momento nós vamos aumentar impostos certamente e isso é uma opção” explica o ministro da Fazendo Henrique Meirelles.

Segundo especialistas em economia é se as contas feitas pelo departamento técnico do Senado, dizendo que considerado o orçamento previsto para esse ano, receita, despesas, deficit… Segundo essa conta faltam R$ 39 bilhões para fechar as contas do governo.

Segundo dados do Banco Mundial, o Brasil tem o pior sistema tributário do mundo levando em conta diversos critérios, com 190 países em um ranking de países que mais cobram impostos, o Brasil está em 181º colocação, ficando atrás somente de países como Sudão, Eritreia, estados falidos.

Em comparação com países da América Latina, as empresas no Brasil gastão em média 2038 horas/ano de trabalho para pagar impostos, contra 342 horas/ano de trabalho em países da América Latina. O imposto sobre o lucro é 68% no Brasil enquanto chega a 46% em média nos países da América Latina.

São considerados 19 impostos principais cobrado das empresas no Brasil, são ele impostos federais: II, IPI, IRPJ, IOF, Cide, Cofins, CPMF, PIS/Pasep, INSS, ITR, FGTS, CSLL, IRPF, ICMS.

Impostos estaduais: ICMS, IPVA, ITCMD.

Impostos municipais: IPTU, ISS, ITBI.

Isso levando em conta que são só os impostos principais, foras a taxas de abertura, alvarás de funcionamento… Isso acaba se tornando um absurdo, pois, segundo dados do Banco Mundial, o certo seria ter imposto de Renda, imposto de consumo e imposto sobre propriedade, sem essa grande quantidade de outros impostos.

Veja também, Impostos no Brasil estão entre os mais altos do mundo.

 

Copyright © 2016-2018 Falando de Frente All rights reserved.
This site is using the Shades theme, v2.4.1, from BuyNowShop.com.