Cresce o número de estudantes inadimplente de universidades particulares

Posted by ORN on March 24, 2017 in Posts | Short Link

A crise econômica atinge todas as pessoas de todas as classes sociais. Dessa forma, a inadimplência nas universidades particulares, aumentou 8,1% no ano de 2016. O estudo foi feito pelo Serasa Experian, e apontou dados que mostram que até mesmo os estudantes de classe média e alta, estão passando por problemas financeiros. Embora o número continue avançando, a inadimplência dos estudantes de instituições privadas foi menor que nos anos de 2015 e 2014. Somente em 2014, a inadimplência atingiu um número de 16,5%, e nesse acumulo até o ano de 2016, o aumento foi de 38,4%.

Luiz Rabi, economista-chefe do Serasa Experian, disse que a desaceleração começou a partir do segundo semestre de 2016. “O mercado parou de piorar no segundo semestre. Primeiramente, por causa da inflação menor, que ajuda o consumidor a não ter sua renda corroída. Além disso, houve um esforço grande do consumidor em tentar sair da inadimplência”. Segundo o economista, alguns dos que estavam inadimplentes conseguiram sanar suas dívidas, mas ainda assim, a ocorrência de pessoas que deixaram de pagar a mensalidade existe.

Rabi ainda declarou: “O consumidor se deu conta, começou a priorizar e comprimir os gastos. Por isso houve um crescimento menor da inadimplência se compararmos com o verificado em 2015”. Priorizar os gastos é uma atitude muito utilizada nos momentos difíceis das finanças. Essa atitude, segundo Rabi, teria desacelerado o ritmo em que estava crescendo a inadimplência dos estudantes. No entanto, Luiz Rabi ainda aponta que é possível melhorar: “Ainda é um início de normalização, agora em 2017 a tendência é de melhorar.” Para ele e para muitos especialistas, 2017 é um ano com boas perspectivas financeiras para todos os brasileiros, sendo assim esse aumento tende a se desacelerar ainda mais.

O Serasa Experian avaliou que este ano pode ter uma desaceleração ainda maior com o passar do tempo. A equipe do Serasa Experian disse que, “provavelmente esse crescimento (da inadimplência) fique cada vez mais fraco”. Complementaram dizendo: “Temos uma melhora no cenário macroeconômico, com queda da inflação e dos juros. Acreditamos numa certa estabilidade em 2017, podendo até recuar um pouco”. Os especialistas afirmam que a queda da inflação, assim como os juros, é um fator determinante para auxiliar as pessoas que estão inadimplentes a quitar suas dívidas.

Além disso, o estudo pode observar qual foi o desenvolvimento nos pagamentos realizados aos ensinos, infantil, fundamental e médio das redes particulares. Segundo os dados, a inadimplência desse setor foi maior que a do ensino superior, atingindo um avanço de 8,5% dos casos de inadimplência. Porém no resultado que avalia a quantidade acumulada teve um desempenho melhor com 22,7% de 2014 a 2016. Os economistas avaliam que para esse segmento o número de inadimplentes também comece a desacelerar até voltar aos números da média.

 

Copyright © 2016-2018 Falando de Frente All rights reserved.
This site is using the Shades theme, v2.4.1, from BuyNowShop.com.